Ao estilo parisiense

garota-estilo-parisiense

Mais do que um jeito de vestir, o estilo parisiense é, talvez, um estado de espírito! Claro que no calor da Bahia não rolam aqueles trench coats maravilhosos e que estão no nosso imaginário coletivo, mas ele não se resume àquela imagem de calça cigarrete preta+ blusa p & p + boina vermelha, né? Algumas pitadas e looks com essa proposta você confere a seguir.

Não acho legal sair imitando looks descaradamente por aí, mas confesso que o estilo parisiense de se vestir é uma ótima fonte de inspiração – e instiga mulheres do mundo todo a tentar entender por quê as francesas têm aquele aspecto despretensioso, mas por outro lado muito chique! Eu adoro! Passear pelas ruas de Paris e simplesmente parar para observar a movimentação das pessoas é algo super interessante, principalmente para quem já fez aqueles programas turísticos obrigatórios na cidade e consegue escapulir um pouco dos clichês. Já me permito a isso, uma vez que estive por lá três vezes.

Sim, certo esnobismo também faz parte do charme francês! E aproveito para dividir nesse pequeno guia de estilo parisiense, digamos assim, algumas frases dos livros A Parisiense, de Ines de la Fressange, e Como ser uma parisiense em qualquer lugar do mundo, trabalho multi autoral encabeçado pela modelo Caroline de Maigret.

Estilo parisiense de vestir

A mulher francesa não aposta muito em uma feminilidade óbvia e é chegada num jogo de esconde-mostra. Um trechinho do livro Como ser uma parisiense fala disso…  

“A parisiense não revela quase nada. Ela segue um mandamento simples a esse respeito:
três centímetros”.

Para ser sexy, não é necessário mostrar demais o corpo, tampouco marcá-lo em excesso. Não conseguiria usar esse mood muitas vezes andrógino até; mas que é chic, ah isso é mesmo.

1
A modelo Caroline de Maigret

Uma calça com modelagem ampla tem lugar cativo em meu guarda-roupas, embora acabe, rotineiramente, optando bastante pelo jeans – que anda mais apertado, passo tempos sem comprar e tá tudo coladinho! Será que o look abaixo (na sequência) evoca esse ar parisiense, considerando, claro, o calor dos trópicos?

A expectativa...
A expectativa…
paris1
…e a realidade!

p2

paris

Calça – A-ha

Camisete – Trifil

Colete – Toq

Sapato – Estação Shoes

Colar – Desirrée Chanz para Srs. Dôru

Esses looks já passaram por posts anteriores, mas acho que também se encaixam no estilo parisiense de vestir:

Style-Profile-Caroline-de-Maigret-9

vestido-longo-festa-elegante[1]

ines-de-la-fressange-9
Ines de la Fressange

covet-fashion-real

anne-berest
Anne Bearest, também autora do livro

O caimento das roupas também é fundamental, como defende Ines em seu livro A Parisiense:

“Você nunca vai ouvir uma parisiense se queixar de que a saia está muito curta, o vestido muito apertado e os sapatos muito altos […]Elas conhecem o próprio corpo, sabem o que lhes fica bem e o que combina com o seu modo de vida”.

Achar que você só vai ficar bonita se usar um saltão tipo Lalá Rudge, enquanto anda para lá e para cá de ônibus, é roubada! Use coisas que são compatíveis com o que você faz, com o estilo de vida que leva, e procure ser sempre a melhor versão de si mesma – ninguém precisa ler isso em livro nenhum, embora esteja nos dois.

Eu não concordo em gênero, número e grau, mas dentro do estilo parisiense não há meio termo quando o assunto é sapato: ou é saltão ou salto zero! Agora, duas coisas que têm lugar cativo no guarda-roupa de uma parisiense são calça jeans e blusa branca. Sejam usados com sapatilhas ou com um belo scarpin preto.

“A calça jeans. Sempre, em qualquer lugar, com qualquer coisa. Tire-a de seu armário e a
parisiense se sentirá nua[…] A blusa branca: ela é emblemática e atemporal.”

estilo-parisiense

mariana-vieira-estilo-paris

paris-estilo-mariana

Camisa – PA Concept

Jeans – Siberian

Bolsa – Arezzo

Sapato – Estação Shoes

Lenço – Comparatto

Jane Birkin: a mais parisiense das britânicas
Jane Birkin: a mais parisiense das britânicas
A incrível Charlotte Gainsbourg
A incrível Charlotte Gainsbourg

O Estilo parisiense de vestir preto

Se tem uma coisa que o povo de Paris gosta, é de vestir preto! Okay, a gente não está em um país que faz aquela super friaca no inverno, mas vamos combinar que o preto confere, sim, certo ar de sofisticação – mesmo por essas bandas de cá. Um vestido preto é curinga em várias ocasiões; uma calça preta tem o poder de camuflar aquelas celulites irritantes; um blazer confere elegância imediata (e fica muito massa se a pessoa estiver com tênis no pé). E tem outro amigo próximo do preto que deveria entrar no seu (e meu) radar fashion: o azul marinho. E até ambos juntos, como fez o mestre YSL.

“Por detrás das poses, a parisiense esconde um medo, um pânico insano, o
de não ser chique. Por isso o preto é prático, é cômodo. É uma aposta segura, mesmo para
alguém que não tenha tino para a moda. O preto é um coringa confortável…”

“Se estiver cansada das suas roupas, tingi-las de azul-marinho lhes dará vida nova (salvo se já forem azul-marinho, óbvio!)”.

ines-de-la-fressange-paris

caroline-de-maigret-chanel

Seguir ou não seguir a moda?

Com moderação! Os clássicos que nunca saem de moda são opção certeira sempre, mas é possível assimilar algumas tendências, e mesmo subverter sua proposta original.

“Seguir as tendências é tudo o que a parisiense detesta, mas ela deve saber o que é in. O negócio é não entrar nas ondas de cabeça. Por exemplo, se estampa de pantera é o que mais vende, ela não vai se vestir no estilo “fugi do zoológico”. Uma carteira de estampa animal basta para mostrar que ela é uma mulher de estilo, não uma maria vai com as outras”.

“Recuse-se a estar na moda, já que é a moda quem segue você”.

Sempre defensora do estilo, tem um que não poderia faltar no post: o navy – ou melhor, marinière, porque a gente tá falando do estilo parisiense, bem!

estilo-navy-paris

paris-estilo

navy-diariodestilo

Blusa – Gap

Casaquinho – H & M

Calça – TNT

Ainda falta eu comer muito arroz com feijão para ficar no mood de Paris, mas devagarinho a gente chega lá!

calca-branca

A princesa Kate nem é besta
A princesa Kate nem é besta

É isso! E aí, será que alguém curte? O Diário d Estilo é isso mesmo, tem hora que tem cor, tem hora que tem essa sobriedade… enfim, acho que uma pessoa meio bipolar está por trás desses escritos! Espero que gostem, bjus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *